Carnaval Brasileiro

Vimos neste post aqui que o Carnaval não é uma invenção brasileira. 

Comemorado em muitos lugares do mundo, chegou no nosso país com os colonizadores – por meio do “’entrudo”, uma brincadeira popular em Portugal.

A prática se estabeleceu no país e foi muito popular, mas desapareceu aos poucos  por conta da repressão contra a brincadeira. Nela, pessoas sujavam as outras com água, farinha, terra e até coisas podres.

Entrudo em Arraias (TO). Fonte: Portal UFT

Com o passar do tempo o Entrudo deixou de ser festejado e deu lugar ao Carnaval com bailes e desfiles glamourosos. 

Como era algo para a elite, onde se cobravam valores altos para entrar nos clubes e bailes, as classes baixas começaram a festejar nas vias públicas.

Assim foram surgindo os blocos, grupos de maracatus, frevos e escolas de samba.

A partir daqui, o Carnaval assumiu a posição de maior festa popular do Brasil!

Desfiles

Alberto Ikeda, pesquisador de música e cultura popular brasileira, professor colaborador do programa de pós-graduação da ECA-USP e aposentado pelo Instituto de Artes da Unesp explica que no século 19 começaram a surgir clubes e sociedades carnavalescos no Rio de Janeiro, onde pessoas de elite se juntavam para uma espécie de desfile de carros alegóricos. Por influência dos negros, a banda foi substituída por baterias de escola de samba.

“Enredo: nota… deeeez”
A disputa por agremiações, como acontece hoje, é algo bem mais recente. A competitividade das sociedades carnavalescas deu origem a essa disputa. “O carnaval que a gente tem hoje começa ao final da década de 1920, quando surge uma escola de samba no Rio chamada Deixa Falar, e logo em seguida, em 1929, a Mangueira. A partir de 1933, há grupos suficientes para começar a ter uma espécie de competição, com o desfile das escolas de samba, que contam predominantemente com a presença negra“, explica Alberto Ikeda.

Na época o Rio de Janeiro era a Capital do Brasil e por isso era uma referência cultural, o que ajudou a espalhar o costume para outras cidades.

As escolas de samba passaram a se tornar uma importante atividade comercial e a partir da década de 1960 empresários começaram a investir na tradição cultural. Em seguida, a Prefeitura do Rio de Janeiro e a de São Paulo criaram estrutura para o evento.

Em 1984 foi criado o Sambódromo (ou a Passarela do Samba) no Rio, com desenho arquitetônico de Oscar Niemeyer.

Foto: rio-carnival.net

Além das escolas de samba

O Carnaval é comemorado de diversas formas pelo Brasil. 

Diferente dos desfiles do Rio e de São Paulo, na Bahia surgiram os afroxés (ritmo musical).

Em Pernambuco a festa conta com os bonecos gigantes.

O Carnaval da Bahia é um dos mais animados do país, em especial em Salvador!

Tem ainda o frevo em Recife e o maracatu em Olinda.

Gostou desse artigo? comaprtilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest