erva_crop_right
petronio
erva_crop

Localizado a 18km do município de Pão de Açúcar (que como o famoso cartão postal carioca, também tem sua estátua do Cristo Redentor), o povoado da Ilha do Ferro é uma pequena comunidade encravada no sertão do estado de Alagoas. Margeando o imponente Rio São Francisco, esse local de pescadores transformou-se ao longo das últimas décadas em um dos polos de artesanato mais conhecidos do Nordeste. E foi a partir desse pequeno povoado que o trabalho do pescador, agricultor e artesão José Petrônio Farias dos Anjos ganhou o mundo.

Influenciado pelos trabalhos de Fernando Rodrigues (primeiro artesão local de destaque e inspiração quase que unânime para todos os demais artistas que trabalham hoje na Ilha do Ferro), Petrônio, como é conhecido, resolveu enveredar pelos caminhos da escultura em madeira em 2002 e, já em 2005, suas peças de estilo peculiar começavam a receber os primeiros convites para exposições na capital.

Corpos alongados e retorcidos, animais com bocas vermelhas assustadoras cheias de dentes afiados e bichos imaginários de duas cabeças são algumas das suas criações mais notórias, esculpidas em troncos de madeira já morta ou respeitando os formatos de raízes criados pela própria natureza. Esses e outros trabalhos têm hoje compradores em diversos estados brasileiros, já foram vendidos para países como Itália e Alemanha, e renderam a Petrônio o prêmio de Artista do Ano de 2014, dado pela Comissão do Museu Théo Brandão de Folclore e Antropologia.

Essas e outras peças estão expostas ao ar livre no Sítio Estrelo, propriedade do artista próxima à Ilha do Ferro onde ele mora com a esposa e seus dois filhos desde 2011.